quarta-feira, 2 de Abril de 2008

NG1 - Direitos e Deveres







Praticar o direito é alegria para o justo; mas é espanto para os malfeitores.
Bíblia
Só engrandecemos o nosso direito à vida cumprindo o nosso dever de cidadãos do mundo.
Gandhi

A desigualdade dos direitos é a primeira condição para que haja direitos.
Nietzsche



.







Apenas há um dever, o de sermos felizes.
Diderot
O dever é a necessidade voluntária, a carta de nobreza de um homem.
Amiel

Por vezes é penoso cumprir o dever, mas nunca é tão penoso como não cumpri-lo.
Alexandre Dumas

Não há sociedade possível sem o dever, que compreende a justiça e a caridade.
Lamennais



O homem, enquanto animal gregário, vive necessariamente em comunidade e esta, porquanto estruturada a partir de diferentes níveis de complexidade social, exige um profundo processo de socialização que possibilite a interiorização das regras sociais inerentes a cada âmbito social.
Estas regras, consubstanciadas nos direitos e deveres a que cada indivíduo está obrigado perante a comunidade, detêm um carácter tanto universal como coercivo, já que estão referidas à idiossincrasia de cada povo. São universais - dizíamos - , porque, com maior ou menor inflexão, são extensíveis a todos os cidadãos. E são, igualmente, coercivas, porque o seu não cumprimento acarreta invariavelmente penalizações para os indivíduos faltosos.
Deste modo, se o núcleo fundamental dos direitos e deveres que os pais têm para com os seus filhos é essencialmente uniforme em todas as famílias portuguesas, como o demonstra por exemplo a obrigação de todos os pais facultarem uma educação aos seus filhos e todos os meios necessários para que esta se possa materializar; outro tanto poder-se-ia afirmar relativamente aos direitos e deveres que cada cidadão está obrigado no seu local de trabalho, na sociedade em que está inserido e no mundo em que habitamos, regidos respectivamente pelo Código do trabalho, pela Constituição da República Portuguesa e pela Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Em suma, a importância que os direitos e deveres assumem dentro da cidadania contemporânea aumenta com a progressiva consciencialização dos vários níveis de complexidade social, posto que cada cidadão se relaciona, sucessiva e simultaneamente, com os contextos privado, profissional, institucional e macro-estrutural.

3 comentários:

Gi disse...

Parabéns. Finalmente um blogue sobre Cidadania e Profissionalidade, tão necessário nos dias de hoje! Excelente qualidade.

José Dourado disse...

Muito útil e interessante, de facto, este blogue.

Gilbert disse...

Ainda não explorei o blogue inteiramente, mas pelo que vi, vou voltar mais vezes. Parabéns!