segunda-feira, 9 de Fevereiro de 2009

NG5 - DR2 - Deontologia e Normas Profissionais

Adoptar normas deontológicas e profissionais como valores de referência não transaccionáveis em contextos profissionais.
  1. Sou capaz de identificar deontologia e normas profissionais?
  2. Sou capaz de reconhecer valores de referência em organizações distintas?
  3. Sou capaz de actuar criticamente sobre práticas sociais, articulando responsabilidade pessoal e profissional?

O propósito deste ensaio é o de esclarecer a intenção ética que precede, na ordem do fundamento, a noção de lei moral, no sentido formal de obrigação, que requer do sujeito uma obediência motivada pelo puro respeito à lei mesma. Se falo de intenção ética mais do que de ética é para sublinhar o carácter de projecto da ética e o dinamismo que determina este último. Não é que a ideia de lei moral não tenha lugar em ética. Ela tem uma função específica; mas pode mostrar-se que esta é derivada e deve ser situada no trajecto de efectivação da intenção ética. Proponho que se faça uma distinção entre ética e moral; que se reserve o termo ética para todo o questionamento que precede a introdução da ideia de lei moral e que se designe por moral tudo o que, na ordem do bem e do mal, se relacione com as leis, as normas, os imperativos.

Paul Ricoeur, Avant la loi morale: l’éthique



O presente tema, Deontologia e normas profissionais, ao estar subordinado ao núcleo gerador Convicção e firmeza ética, exige a desocultação dos conceitos de ética e deontologia, dado que as suas diferenças teórico-conceptuais não nos permitem concebê-los de forma eminentemente unívoca.
Se se tem em consideração o legado filosófico ocidental, o conceito de ética - do grego, ethiké – refere-se à disciplina de estuda os fundamentos da moralidade, isto é, os princípios do comportamento humano que se vinculam com as noções de bom e mau.
Diferentemente, conceito de deontologia, derivando dos vocábulos gregos deontos e logos, exige que o interpretemos por um discurso ou tratado de normas, o que o aproxima significativamente dos conceitos filosóficos tradicionais de moralidade e axiologia.
Ética e moral são, portanto, expressão duas disciplinas distintas, ainda que complementares. Pois, se a primeira busca os princípios da moralidade, isto é, aquilo que permite distinguir entre acções boas ou más; a segunda, tendo como base estes princípios, busca construir um conjunto de normas às quais ninguém se pode arbitraria ou livremente furtar.
Deste modo, se é verdade que existe uma relação de dependência entre as disciplinas da deontologia e da ética, com preponderância da segunda relativamente à primeira, já que esta última disciplina determina os princípios pelos quais aquela deve se reger; não deixa de ser igualmente verdade que a deontologia reveste-se de um carácter eminentemente pragmático, porquanto permite não só fixar as normas profissionais que devem reger cada trabalhador assim como afastar a subjectividade inerente ao critério ético.



Proposta de trabalho: Para a desocultação da competência em análise, exortamo-lo para a realização de três tarefas conjuntas. Num primeiro momento, propomos-lhe que identifique as normas profissionais que regem o seu colectivo profissional e situações de vida que evidenciem o comprimento das mesmas. Num segundo momento, procure mostrar importância da deontologia e das normas profissionais para proficuidade das relações laborais entre colegas de trabalho e entidade patronal, assim como para a salvaguarda dos consumidores. E, num último momento, procure reelaborar uma nova deontologia profissional que, animada por novos códices éticos, seja capaz de responder a situações de intolerância, desrespeito e abuso de autoridade, com que se confronta cada trabalhador na relação que mantém com os seus colegas de trabalho, com a entidade patronal e com o público a que se dirige.

5 comentários:

Joana disse...

Muitos parabéns pelo trabalho que desenvolveu e partilha no seu blog. Agradeço-lhe profundamente.

Mafalda Branco disse...

Olá Emanuel!
Nunca deixei nenhum comentário, mas queria dar-lhe uma palavra de incentivo e de agradecimento pelo que partilha neste espaço. Muitas vezes não é fácil mantermos a partilha, às vezes desanimamos porque não obtemos feedback, mas vale sempre a pena, e mesmo em silêncio há quem agradeça profundamente todo o esforço que se tem. Por isso mesmo, parabéns por este espaço e por esse espírito! Este é um espaço fundamental para quem trabalha nesta área e precisa de umas "luzes". :)
Mafalda Branco

angela disse...

boa tarde,vim parar aqui ao seu blog,estou a tirar o rvcc 12 ano e confesso que tem sido útil as suas explicaçoes porém confirmei que o senhor nao engloba todas as areas de cp,será que podia faze lo?Apesar de estar num cno nao tenho sido mt apoiada ao nivel da descodificação de todo o referencial...obrigado

angela disse...

Sr Emanuel podia colocar textos com explicações alusivas aos restantes drs que faltam das diversas areás que compoem cidadania e profissionalidade?Quero fazer C P todo mas para isso precisava que o senhor falasse no blog de todos os drs...obrigado

Jaira disse...

Apenas para deixar uma palavra de agradecimento, o seu blogue tem-nos ajudado muito na construção de materiais para o RVCC de 12º ano.

Formadoras de CP, Ana e Patrícia